Translate

30 de março de 2009

Hora do Planeta




HORA DO PLANETA: Também apagamos as luzes no sábado, dia 28.
(foto: Pablito Saldo)
--> Leia mais...

29 de março de 2009

COLORADOS NO SUL, VAMO SE AGENDÁ PRO CENTENÁRIO!!

(FONTE: PAGINA DO COLORADO)
Quarta-feira (1º/4)

Beira-Rio é Seleção


O estádio do Internacional vai receber o jogo entre Brasil e Peru, pelas Eliminatórias da Copa. A partida começa às 21h50min. Além do verde e amarelo, as arquibancadas do Gigante prometem ser tomadas por muito vermelho e branco. Afinal, o clima é de celebração aos 100 anos do Inter!

Quinta-feira (2/4)

Hipismo


O Grande Prêmio de Hipismo do Centenário do Internacional será realizado no Hipódromo do Cristal, às 20h30min.

Sexta-feira (3/4)

Missa


A Missa do Centenário será celebrada na Catedral Metropolitana, às 19h30min, com queima de fogos na praça da Matriz após a cerimônia religiosa.

Virada do Centenário

Um foguetório na virada do dia 3 para 4 de abril (sexta para sábado), no Beira-Rio, irá marcar o começo de um dia de intensa celebração do Centenário.

Sábado (4/4) - 100 anos do SC Internacional

Marcha Colorada


A Marcha do Centenário está mobilizando a massa colorada. Os participantes irão se concentrar às 9h na Praça Sport Club Internacional, na Rua Dr. Sebastião Leão com a Rua Jornal do Brasil, ao lado do Hospital Porto Alegre. A largada será às 9h30min em direção ao estádio Gigante da Beira-Rio. (Clique aqui e saiba mais!)

Show no Gigante

Na chegada da Marcha do Centenário, os torcedores do Internacional serão encaminhados à arquibancada superior do Beira-Rio e brindados com uma cerimônia, na qual a Banda Ataque Colorado (única banda oficial de um clube de futebol no mundo) fará um show especial. O Ataque Colorado ainda vai contar com a participação de músicos colorados famosos. Será uma grande confraternização que vai entrar para a história. No repertório estarão os sucessos da banda e mais alguns cânticos da torcida que ganharam versões especiais do grupo. Um grande momento dessa festividade entre os fiéis colorados será a entrega do Disco de Ouro ao grupo por alcançar a marca de 77 mil cd’s vendidos, sem dúvida uma marca triunfante como é sempre tudo que cerca o Clube.

Medalha e Selo

Durante o show no Beira-Rio, será lançada a medalha da Casa da Moeda e o Selo dos Correios em homenagem ao Centenário do Clube. Os eventos estão programados para as 13h. (Clique aqui e saiba mais sobre a medalha).

Festa no Gigantinho

O jantar oficial do Clube será oferecido para mais de 3 mil sócios no Gigantinho, a partir das 20h. Estão previstas cenografias especiais, presenças de personalidades importantes na história do Clube e mais surpresas. Vale lembrar que a festa será transmitida em tempo real pelo site www.tvinter.tv .

Centenário de todo mundo

Além das festas promovidas pelo Clube, uma série de eventos estão sendo organizados pelos consulados e por torcedores.

> Veja a agenda dos consulados

> Acesse o site www.centenariocolorado.com.br e poste a sua festa na agenda de eventos!
--> Leia mais...

27 de março de 2009

Acreano ou Acriano: defensores da antiga grafia pretendem levar polêmica à ABL

Local: São Paulo - SP
Fonte: Amazonia.org.br
Link: http://www.amazonia.org.br

Desde o dia 1º de janeiro de 2009 entrou em vigor a novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa, firmado por integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). A decisão teve rejeição pela maioria da população lusitana e no Brasil o debate passou quase despercebido. Quase: no Acre o debate ganhou destaque e chegou à Assembléia Legislativa do Estado. O motivo de tanta polêmica é que os acreanos se recusam a serem chamados de "acrianos", conforme a nova regra gramatical.

Antes do acordo as duas formas eram consideradas corretas, apesar da grafia oficial (acreano) ser considerada como "menos adequada" pelo dicionário Aurélio. Segundo a nova gramática "escrevem-se com i, (e não com e) antes da sílaba tônica os adjetivos e substantivos derivados em que entram os sufixos mistos de formação vernácula -iano e -iense".

"Eu tenho 44 anos e desde que nasci sou acreana. Em nosso hino usamos, tanto na escrita quanto na fala acreano", comenta a deputada estadual Perpetua Almeida, que organiza um fórum para levar a proposta à Academia Brasileira de Letras [ABL]. A parlamentar aderiu à causa após a publicação diária de artigos na imprensa regional sobre a mudança do gentílico, feito por especialistas, jornalistas e políticos.

Segundo ela, esse comitê pretende ser ampliado, mas já no primeiro encontro contou com a participação do presidente da Assembléia Legislativa do Acre, Edvaldo Magalhões (PC do B), do presidente da Academia de Letras do Acre, Clodomir Monteiro, além de representantes do Sindicato dos Jornalistas, da Fundação Cultural do Estado, do Tribunal de Justiça e da Universidade do Estado.

"Vamos manter um blog para as pessoas aderirem ao fórum de defesa da nossa acreanidade", explica a deputada. O comitê irá organizar uma comitiva de políticos e intelectuais para discutir o assunto e propor a aceitação do termo acreano como também sendo correto.

Perpetua comenta que garantir a grafia com também sendo oficial é a forma de garantir a cultura e raízes daqueles que sempre brigaram para serem brasileiros. "Somos um Estado que tem a luta e a resistência no sangue, enfrentamos outro país, porque nos considerávamos brasileiros. Fizemos enfrentamento, até que o Brasil nos aceitasse", justifica.

Outro defensor da causa é Antonio Alves, jornalista e assessor especial do governador do Acre, Binho Marques. Alves afirma que o Acre já viveu cem anos de solidão e "foi "descoberto" recentemente, depois da morte do Chico Mendes. "Nosso isolamento secular criou uma identidade, uma história e várias manias. Agora querem nos tirar tudo, nos incluir numa globalização sem identidade, nos pasteurizar", conta.

Imprensa acreana e acriana
Assim que a reforma ortografia passou a valer, a maioria dos jornais do Estado adotou o novo termo. Com exceção do jornal A Gazeta, todos os outros veículos, incluindo a Agência de Notícias do Governo do Estado adotou a nova grafia.

"Liguei para os jornais e perguntei 'porque vocês estão escrevendo com i?', eles disseram 'não sei... não está decidido que tem que ser assim?", comenta a deputada Perpetua que conseguiu o apoio do próprio Governador Binho Marques, que aderiu ao movimento e solicitou que a estatal Agência de Notícias não escreva mais 'acriano'. O jornal A Tribuna também entrou em acordo com a proposta e pretende grafar o gentílico da forma antiga.

"Nós fazemos a língua"
Não é só o Acre que passou por polêmicas gramaticais. O Estado da Bahia já esteve em situação parecida, quando os baianos pediram para que fosse mantida a letra 'h' no nome do Estado ao invés da sugestão de reforma da época que alterava para Baia. Segundo Perpetua este é um exemplo de que o povo é quem faz a língua.

Antonio Alves concorda com a opinião e afirma que é preciso respeitar as específicidades regionais que existem na língua. "Os linguistas nem conhecem o "português" que falamos! Sabem o que é descer de bubuia? Já viram um estrupício? Andaram num varadouro (caminho aberto na mata)? Ora, nós nos identificamos como acreanos. Gostamos do "e", não gostamos do "i". Nós fazemos a língua, eles fazem a regra".
--> Leia mais...

6 de março de 2009

Anunciado projeto que cria Bolsa Ecologia para a Amazônia Legal

Anunciado projeto que cria Bolsa Ecologia para a Amazônia Legal

Local: Macapá - AP
Fonte: Diário do Amapá
Link: http://www.diariodoamapa.com.br/

O senador Gilvam Borges (PMDB-AP) apresentou em Plenário, esta semana Projeto de Lei autorizando o Governo Fede-ral a criar o Programa Bolsa Ecologia para a Amazônia Legal. O objetivo do programa Bolsa Ecologia, conforme o Senador, é a transferência de renda para as famílias residentes em locais próximos às Unidades de Conservação da Amazônia Legal, com o fim de melhorar as condições econômicas da população local e capacitá-la para a preservação do bioma amazônico. A Amazônia Legal compreende a totalidade dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima, além de parte dos estados do Mato Grosso, Tocantins e do Maranhão.

A região engloba uma superfície de aproximadamente 5.217.423 km², correspondente à cerca de 61% do território brasileiro e foi instituída com o objetivo de delimitar uma área captadora de incentivos fiscais com o propósito de promoção do seu desenvolvimento. Na justificação de sua proposta, Gilvam lembra que "entre as causas primordiais do desmatamento na região inclui-se a falta de apoio aos amazônidas para que possam viver dignamente, em harmonia com o ambiente". Segundo ele, a criação pura e simples de unidades de conservação não garante o tão desejado desenvolvimento da região.

"Para conseguir um efetivo controle sobre o desmatamento, o poder público precisa estimular os agricultores, os ribeirinhos e as po-pulações tradicionais a manterem a floresta de pé. Para tanto, é preciso garantir às famílias locais a renda mí-nima necessária a sua sobrevivência, de forma a compensar o esforço por elas realizado em prol da conservação da floresta", argumenta em sua justificação. O artigo 3 da proposta condiciona a concessão do benefício à comprovação de renda familiar mensal de no máximo um salário mínimo e de residência da família na região há, no mínimo, três anos ininterruptos. Em apartes, os senadores Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) e Jayme Campos (DEM-MT) manifestaram seu apoio ao pronunciamento de Gilvam Borges.
--> Leia mais...

Blogs Favoritos