Translate

7 de dezembro de 2007

Reserva do Croa aprovada no Croa

Comunidades aprovam criação da Reserva Extrativista Crôa- Valparaíso no Vale do Juruá

As comunidades do Rio Crôa, Lago do Mujú e Br 364 aprovaram nesta terça-feira, por unanimidade durante a consulta pública realizada pelo Ibama, a criação da Reserva Extrativista Crôa-Valparaíso. O presidente da associação de moradores do Crôa, Jeam Teixeira, diz que a qualidade de vida dos moradores melhora com a criação da reserva.

Segundo ele, com a definição da área de proteção os moradores do entorno terão mais segurança na utilização dos recursos naturais como o pescado, produtos madeireiros e não madeireiros e a caça. “Vamos ter apoio e fiscalização do Ibama e para nós, que estamos bem perto de Cruzeiro do Sul e Rodrigues Alves, onde há muita pressão para o uso indevido de nossos recursos, a Reserva Extrativista é fundamental”.

Francisca Teixeira, uma das lideranças do Crôa, diz que para o grupo de mulheres artesãs do Rio Crôa, que já expõem suas peças feitas de fibra de buriti e carrapicho até fora do Acre, a Reserva é a garantia de que a matéria prima para as biojóias e cestaria continuará abundante. Hoje elas encontram o buriti e o carrapicho nos quintais de casa e ao longo do Rio Crôa.

De acordo com o laudo biológico preliminar feito no Crôa pelo engenheiro florestal, Fred Soares, como apoio de pesquisadores da Universidade Federal do Acre, no local há muita caça, peixes e mais de 200 espécies diferentes de plantas. 57 espécies são utilizadas pela comunidade com finalidade fitoterápica. No Crôa há um Centro de Medicina da Floresta, onde são feitos e distribuídos medicamentos naturais que combatem várias doenças. O projeto do CMF – Centro de Medicina da Floresta - foi iniciado pela antropóloga Maria Alice Freire e hoje é executado por um grupo de moradores da Comunidade Nova Era do Rio Crôa.

Novas consultas públicas serão realizadas pelo Ibama na sexta-feira, dia 30. na comunidade Carlota no Rio Juruá e domingo, dia 2 de dezembro na comunidade Tartaruga no rio Valparaíso. O presidente da Associação de Moradores e Produtores da Comunidade Carlota, José Oliveira – o Teixeira – diz que na localidade as opiniões estão divididas, mas ele acredita que os moradores também vão aprovar a inclusão da localidade na reserva extrativista.

O chefe das Unidades de Conservação do Ibama Adalberto Iannusy diz que somente as comunidades que quiserem farão parte da Reserva Extrativista Crôa – Valparaíso. Ele destaca que entre os benefícios estão a regularização das terras, os créditos habitação e outros que as famílias receberão do Incra e a fiscalização do Ibama para evitar que madeira, caça e outras riquezas sejam retiradas do local por pessoas de fora da Reserva Extrativista. Se as demais comunidades votarem a favor da inclusão, a Reserva Extrativista terá 120 mil hectares e incluirá 11 localidades.

0 comentários:

Blogs Favoritos